banner5banner4banner2banner1
Reabilitação

Pós Artroplastia de Joelho

A fisioterapia para o paciente que realizou a artroplastia de joelho objetiva:

  • Prevenir a trombose venosa profunda (TVP) e complicações respiratórias;
  • Minimizar efeitos da imobilização: dor, edema, diminuição de força muscular e da amplitude de movimento;
  • O relaxamento dos espasmos musculares reativos;
  • O ganho gradual da amplitude de movimento (ADM) do joelho respeitando o limite da dor (extensão 0° e flexão 90-110°);
  • Manter e/ou recuperar a força muscular do membro inferior (MI) operado e potencializar a força do MI contralateral;
  • Promover a flexibilidade dos MMII;
  • Normalizar o padrão da marcha;
  • Alcançar a independência nas atividades de vida diária (AVDs).

Na seqüência seguem orientações de atividades domiciliares que, se realizadas, aceleram o processo de recuperação pós operatória:

1º DIA:

 

  • Uso do gelo em compressas por 20 minutos a cada 2 horas;
  • Posicionamento do membro inferior operado: é importante NÃO colocar nada embaixo do joelho (travesseiro, almofada); inicialmente causa conforto ao joelho, mas posteriormente irá interferir na marcha e aumentar a dor;
  • Manter o membro inferior operado elevado de modo que o pé fique mais alto que o coração para minimizar o edema(inchaço) e facilitar a reabilitação;
  • Nesta posição descrita podem ser feitos exercícios com o tornozelo para facilitar o retorno venoso.






Iniciar exercícios respiratórios (inspirações profundas e expirações lentas), podendo associar-se com movimentos dos membros superiores.

2° DIA:

 

  • Manter cuidados e orientações anteriores;
  • Saída do leito: a marcha é com carga, ou seja, é necessário o uso de andador, porém o pé do lado acometido pela cirurgia é apoiado no chão, com a descarga já previamente determinada pelo seu medico, e que geralmente deve ser quase total. É importante tocar o chão primeiro com o calcanhar, depois a borda lateral do pé e a seguir os dedos. Deste modo, incentiva-se uma marcha adequada para evitar a claudicação.
  • Iniciar exercícios de mobilidade, duas vezes ao dia:

 

1) Deitado de costas ou sentado realizar o deslizamento do calcanhar na cama (flexionando o joelho) até o limite da dor; manter por 30 segundos e depois retornar; repetir 10 vezes.



2) Deitado de costas empurrar o calcanhar em direção aos pés da cama, para facilitar a extensão do joelho, mantendo por 30 segundos; repetir 10 vezes.

 

Iniciar exercícios de força muscular, duas vezes ao dia: Deve ser realizado em ambos os membros inferiores, pois o membro não operado deve ser reforçado para auxiliar o outro neste período em que não pode ser sobrecarregado.

1) Deitado de costas, colocar uma toalha de rosto enrolada embaixo do joelho e apertá-la com a parte posterior do joelho; manter por 30 segundos; repetir 15 vezes.

3° ao 8° DIA:

 

Na subida de um degrau ou escada colocar na frente à perna não operada, subir o degrau e em seguida levar a operada. Ao descer um degrau, fazer o contrário, colocar sempre na frente a perna operada e depois a não operada. Deste modo não há sobrecarga sobre o joelho operado.



Além dos exercícios anteriores devem ser acrescentados:
Para ambos os membros inferiores.


1) Deitado de costas elevar 10 vezes a perna com o joelho estendido, fazendo movimentos lentos, sem pressa.



2) Deitar de lado, com o membro inferior operado para cima, abrir a perna por 10 vezes cuidando para manter o joelho estendido.


3) Deitado de costas, apertar uma bola ou almofada entre os joelhos; repetir por 10 vezes.



4) Deitado de costas, colocar um dos pés numa toalha grande e elevar a perna com o joelho estendido. Deve sentir o alongamento na região posterior da coxa. Fazer nos dois membros inferiores.

2ª SEMANA:

 

  • Manter uso da crioterapia e elevação do membro para prevenção ou minimização do edema;
  • Importante manter o cuidado na subida de degraus protegendo o joelho de sobrecarga;
  • Manter exercícios citados anteriormente tanto para mobilidade do joelho quanto para força, porém aumentando o número de repetições para 20 VEZES.

3ª e 4ª SEMANA:

 

  • Após a retirada dos pontos e as cicatrizes cirúrgicas bem fechadas pode ser iniciada a caminhada em piscina térmica;
  • Realizar bicicleta SEM CARGA, apenas para aumentar a mobilidade articular;
  • Manter exercícios sugeridos anteriormente;
  • Realizar o alongamento da panturrilha em pé: de frente para uma parede, colocar um pé à frente e o outro deixar atrás, calcanhar bem apoiado no chão, flexiona o joelho da frente;
  • Realizar em casa os exercícios sugeridos pelo fisioterapeuta, isto acelera a recuperação e o retorno às atividades normais.

5ª a 8ª SEMANA:

 

  • Pode ser iniciada a bicicleta com resistência leve por 10 minutos, se tolerado e se não tiver dor durante ou depois sua realização. A resistência da bicicleta e o tempo de realização podem ser aumentados conforme a tolerância;
  • Treino de transferência de peso: ficar apoiado somente sobre o pé da perna operada; manter por 15 segundos e retornar.
  • Manter exercícios de reforço muscular e de flexibilidade;
  • Treino de subida de degraus com carga para o lado operado;
  • Marcha independente e sem dor.
  • A partir deste período você já poderá estar apto a retornar para a academia ou outros exercícios específicos, seguindo a orientação do seu medico. Lembre-se que e importante a realização e a continuidade de algum trabalho físico.

 

Á DISPOSIÇÃO,
Dr. Marcelo Garzella e Ft. Simone Bigolin

<< voltar
| Dr. Marcelo Garzella Ortopedia & Traumatologia | Rua Barão do Rio Branco, 53 - sala 01 - Ijuí/RS - (55) 3332.6661